sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Melhores universidades do Brasil - Como entrar para as melhores?


 Encontre aqui as melhores universidades do Brasil usando os dados do Ranking Mundial da Educação

O Brasil é o maior país da América Latina e o quinto maior país do mundo, com uma população de quase 210 milhões de habitantes. Sua língua oficial é o português, que é falado por 98% da população.Para ingressar em ambas as mais concorridas é preciso fazer o Enem 2020. 

Possui mais de 7.200 km de Costa, 2.000 praias e a maior floresta tropical do mundo (e um quarto da área total de floresta tropical do mundo). Antropólogos estimam que há 60 tribos por descobrir nestas densas selvas.

Suas cidades são igualmente de renome mundial, como São Paulo, A maior cidade do mundo, Rio de Janeiro, sede da Copa Do Mundo FIFA de 2014 e Brasília, a capital utópica projetada por Oscar Niemeyer – não há fim para seus tesouros urbanos.

Tal como os Estados Unidos, o Brasil tem uma relação de dependência comercial relativamente baixa. Com base em seu PIB, tem a oitava maior economia do mundo. Membro do grupo BRICS, está entre as principais economias de crescimento mais rápido do mundo, com reformas econômicas que estão constantemente empurrando-o para a frente na cena internacional.

As oportunidades de viajar dentro do país são inesgotáveis, mas o Brasil também é um grande trampolim para explorar atrações vizinhas como Buenos Aires, Patagônia, Machu Picchu e os Andes.

Universidade de São Paulo



Fundada em 1934, a Universidade de São Paulo foi o resultado da colaboração da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (Lei), a Escola Politécnica (Engenharia) e a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Agricultura).

É a maior universidade pública do Brasil e uma das maiores instituições de ensino superior da América Latina. A cidade de São Paulo é o lar de quatro dos seus 11 campi; os outros são, em Bauru, Lorena, Piracicaba, Pirassununga, Ribeirão Preto e dois em São Carlos.

Os Campus universitários incluem 70 bibliotecas, cinco Hospitais Afiliados, 24 museus e galerias, dois teatros, um cinema e o seu próprio canal de televisão dirigido por estudantes. Uma grande parte dos trabalhos científicos brasileiros também são produzidos na Universidade.

Notáveis ex-alunos de incluir o ex-presidente do Brasil Michel Miguel Elias Temer Lulia, o escritor, professor, sociólogo e crítico literário Antonio Candido de Mello e Souza, e Guido Mantega, e do Brasil, ex-ministro das finanças.

Universidade de Campinas





Inaugurada em 1966, a Universidade de Campinas está sediada na região do Estado de São Paulo, embora tenha campus afiliados em Limeira e Paulínia.

Estabeleceu-se como um centro primário de investigação médica e científica e produz uma grande quantidade de material patenteado.

Os estudantes internacionais terão de fazer um exame para serem admitidos, o que exigirá uma forte compreensão do Português.

O Aeroporto Internacional de Guarulhos, a cerca de 135km do campus de Campinas, é o Aeroporto Internacional de Guarulhos. Campinas é conhecida não só por seu clima temperado – é sobre o Trópico de Capricórnio, mas também por sua ampla gama de centros culturais, como dezenas de cinemas e bares, conhecido localmente como "barzinhos".

Entre os ex-alunos da UniCamp estão o ator Petrônio Gontijo, o historiador e ativista dos direitos gays Luiz Mott, e o economista Paulo Renato Souza.

Projetos para inclusão de gênero nas universidades brasileiras

No Brasil, a falta de igualdade de gênero é desequilibrada no ensino superior, o que aumenta a favor das mulheres. O acesso aos estabelecimentos públicos de ensino superior deve ser alargado a uma maior proporção de jovens entre os 18 e os 24 anos, em especial os provenientes do estrato social mais baixo. As avaliações indicam a existência de grandes disparidades de qualidade entre as instituições de ensino, especialmente entre as organizações privadas.

A UNESCO no Brasil tem mantido um diálogo permanente com instituições públicas de ensino superior, com universidades e outras instituições de ensino superior e pesquisa. A organização tem tentado promover a educação e a mobilidade dos professores, a qualidade do ensino superior, mudanças educacionais e inovações que se tornaram essenciais devido aos desafios emergentes enfrentados pela Sociedade do conhecimento de hoje. Neste sentido, a UNESCO: 



· Reúne decisores e investigadores,

· promove estudos e discussões, e

· incentiva os estabelecimentos de ensino superior e os países a trocarem programas.

· patrocina programas inovadores na área do ensino superior, tanto em parceria com instituições públicas, como programas com o Ministério da educação, bem como com instituições privadas e entidades da sociedade civil.

· disponibiliza aos estabelecimentos de ensino superior e às universidades os documentos de referência considerados indispensáveis para a mudança ou inovação de processos no domínio do ensino superior.

Na América Latina, as ações da UNESCO são coordenadas pelo Instituto Internacional de Ensino Superior da UNESCO na América Latina e no Caribe - IESALC. O escritório da UNESCO em Brasília, em parceria com a IESALC, participa da implementação de dois projetos em universidades de integração intercultural que se baseiam em valores essenciais como o respeito pelos Direitos Humanos, pelo Diálogo intercultural, pela diversidade cultural e pela paz entre civilizações.


Projetos


A criação da Universidade Federal de Integração Latino-Americana-UNILA: localizada em Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil. Pretende promover o desenvolvimento de uma mentalidade entre os estudantes de integração regional baseada nos valores essenciais acima mencionados.

A criação da Universidade Federal de integração portuguesa-Africana-Brasileira-UNILAB: localizada no Ceara, brasil. Pretende contribuir para o intercâmbio de conhecimentos entre o Brasil e outros Estados-membros da comunidade de países de Língua Portuguesa (CPLP), especialmente os países africanos.