segunda-feira, 20 de maio de 2019

Alongamentos - Como fazer corretamente


Fazer exercícios é muito bom para manter a saúde, mas como tudo na vida existe um jeito certo de se fazer.

O primeiro passo para se iniciar nos exercícios físicos é o alongamento, assim seus músculos estarão preparados para o estresse das atividades.

Veja o modo correto de se alongar logo abaixo.



Quando devemos fazer o alongamento?

O alongamento é parte de qualquer treino, devido a sua capacidade de evitar lesões durante os exercícios.

Antes de fazer os alongamentos é necessário um aquecimento, podendo ser qualquer tipo de exercício que mova o corpo todo, como polichinelo.

É muito importante que tenhamos a sensação de que o músculo que está sendo alongado “queime” um pouco, isso mostra que o alongamento está sendo eficiente.

Além disso, é importante alongar pelo menos os músculos que serão utilizados durante o exercício, pois são os que têm maiores chances de lesão.

Alongamento estático e dinâmico

Existem vários tipos de alongamentos, e podemos distingui-los entre alongamentos estático e dinâmico.

O alongamento estático, como o próprio nome já diz, requer que fiquemos em uma postura por alguns segundos, sendo mais focado em alguns músculos.

O alongamento dinâmico faz a utilização da movimentação para alongar, além de ajudar na ampliação dos movimentos e ter efeito sobre vários músculos.

De acordo com a ciência, o alongamento dinâmico é superior ao alongamento estático, e traz muito mais benefícios.

Como se alongar corretamente

É importante escolher se vai começar pelos músculos superiores e ir descendo, ou fazer dos músculos inferiores e ir subindo.

Quando estiver se alongando, não tenha pressa em terminar o procedimento, e segure pelo menos 10 segundos na posição escolhida.

Procure vídeos explicativos de alongamento, ou até mesmo diagramas de exercícios de alongamento na internet e procure executá-los com precisão.

Caso tenha alguma dúvida, procure o auxílio de um profissional da educação física.

Vitamina A - Onde encontrar? Para que serve?


A vitamina A é muito importante para a saúde de nosso organismo, principalmente no que se refere a visão, cabelos, pele e sistema imunológico. Veja mais sobre essa indispensável vitamina!

Para que a vitamina A serve?

A vitamina A é diretamente responsável pelo bom funcionamento de nossos olhos, levando a uma boa visão.

Isto decorre de sua relação com a rodopsina, proteína responsável pelo funcionamento da retina, ajudando na diferenciação entre demais estruturas do olho.

Assim como a vitamina C, a vitamina A atua no fortalecimento do sistema imunológico, combatendo infecções em nosso corpo.

Também é responsável pelo bom funcionamento do órgão reprodutor, além de ser muito poderosa contra o envelhecimento precoce.

Embora não haja evidências definitivas, há pesquisas que mostram seu poder de prevenir o câncer e doenças cardiovasculares.



Onde podemos encontrar a vitamina A?

O bife de fígado de boi é o principal alimento quando o assunto é vitamina A, sendo muito indicado para quem sofre com deficiência desta vitamina.

Logo em seguida, temos a manteiga, o ovo cozido e o óleo de peixe como os alimentos mais ricos em vitamina A de origem animal.

No que se refere a alimentos de origem vegetal, a cenoura crua é quem manda nessa competição, podendo possuir até mais vitamina A do que o fígado de boi.

O espinafre, a couve-manteiga e a batata-doce entram com força nesta disputa, possuindo boa quantidade de vitaminas A também.

Em casos específicos, o suplemente de vitamina A é indicado, podendo ser adquirido em várias farmácias.

E o excesso de vitamina A?

O excesso de qualquer vitamina provoca efeitos colaterais em nosso organismo, e a vitamina A não é exceção.

Quando consumimos muita vitamina A, é comum que ocorram dores de cabeça, visão turva, náuseas e sonolência.

Além disso, se já houver a deficiência de vitamina D no organismo, o excesso de vitamina A pode acarretar em osteoporose.

segunda-feira, 15 de abril de 2019

Varicela - Sintomas e como tratar




Varicela, popularmente conhecida como catapora, é uma doença, infecção na pele altamente contagiosa em que os sintomas são erupções na pele acompanhada de febre e um resfriado comum.


O vírus transmissor chama-se Varicela-Zoster é muito comum durante a infância devida a grande aglomeração de crianças em uma escola, por exemplo e pela facilidade que é transmitido o vírus por meio de contato, dividir os mesmos objetos e pelo ar.


Riscos


Os riscos durante a contaminação na infância são poucos, é recomendado o repouso total e se possível a isolação do doente para evitar a transmissão de pessoas com risco como adultos que não ficaram imunes e recém nascidos.
Após a cura da virose, nosso corpo fica imune a varicela pelo resto da vida.



O adulto contaminado pela catapora requerem cuidados mais especiais, pois a varicela se manifesta na sua forma mais grave em pessoas a partir dos 12 anos, é recomendado nesses casos a ajuda clínica para evitar possíveis infecções e sequelas.


Tratamentos


A varicela, dura em torno de 1 a 2 semanas, geralmente não é necessária nenhuma intervenção médica, o tratamento consiste em hidratação com água, a troca das roupas de camas para evitar uma grave infecção, não é recomendado o uso de aspirina para os sintomas de gripe, repouso total, e se possível se manter longe de pessoas que nunca foram expostas ao vírus.


Vacina


Atualmente existe a vacina da catapora, é oferecida gratuitamente nas campanhas do sus, e paga em hospitais particulares, são duas doses e pode ser aplicada em todas as pessoas a partir de 1 de idade,  que ainda não foram contaminadas pelo vírus Varicella-Zoster.


A vacina é recomendada, mas não tem eficácia completa, a vacina da Varicela não garante imunidade, porém se contaminado, a doença se manifestará de forma mais leve.


Não é indicada para gestantes e pacientes oncológicos.